CADERNO DE ESBOÇOS/ PORTEFÓLIO

CADERNO DE ESBOÇOS/ PORTEFÓLIO

Horário: 04 sessões (08h) | de 21 a 24 de abril de 2015 (de ter. a sex.) | Pós-laboral (19h00 – 21h00)

Curso Livre

Formador: António Gonçalves

ANTÓNIO GONÇALVES

António Gonçalves da Costa, nascido em Julho de 1975,  de nacionalidade Portuguesa. Frequentou a Escola Soares dos Reis, Porto. É licenciado em Artes Plásticas -Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Frequentou a Faculdade de Belas Artes de Cuenca-Espanha, ao abrigo do Projecto Erasmus 1998/1999.
Doutorando, na Universidade de Les Illes Balears, Palma Maiorca. É Artista Plástico e Director Artístico da Fundação Cupertino de Miranda, Vila Nova de Famalicão, desde 2002. Professor Auxiliar na Escola Superior Artística do Porto, extensão de Guimarães, desde 2001.

Destinatários:
Alunos das Belas Artes e de Arquitectura e público em geral com interesse na área.

 

Inscrição: 50% do valor total da propina |

Propinas:
Estudantes, Docentes e Funcionários da FBAUP/ UP:
 55,00 Euros |
Público em Geral: 68,00 Euros |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES ATÉ 06 DE ABRIL de 2015

Candidaturas e Inscrição

Para candidatar-se, selecione a opção INSCRIÇÕES ONLINE

 

Descrição:

O apontamento como registo primário da ideia. Organizar em cadernos os esboços que levam a concretizações finais. Esboçar permite elaborar, burilar a ideia, registar possibilidades e ampliar soluções. Os cadernos transformam-se em arquivos que servem de base de consulta a cada momento de elaboração do trabalho.

O portefólio é a selecção do trabalho realizado, permitindo uma visão compilada do mesmo. Esta organização será sempre o “rosto” daquele que o apresenta.

A formação pretende dar as bases de trabalho para a elaboração de um portefólio e potenciar a utilização do caderno de esboços como base de registo das ideias, depósito e arquivo das mesmas.

Conteúdos:

Ideias: procurar apontar, registar ideias através de apontamentos rápidos como intenção de captura da ideia.

O desenho como processo: usar a linguagem do desenho nas suas possibilidades como base para elaborar e desenvolver o registo da ideia. Elaborar um crescendo de hipóteses baseadas nos registos iniciais.

O desenvolvimento da ideia: Complementar e alargar as bases iniciais do primeiro registo. Criar um estudo mais aprofundado esgotando soluções e afinando directrizes que culminem numa conclusão mais cuidada da base primária da ideia.

O caderno como contentor e portefólio: o registo e alinhamento dos estudos levam a uma descrição dos processos e dos resultados. Estes registos permitem uma apreciação global do trabalho, numa percepção em formato de portefólio.

Materiais (necessidades a suprir pelos formandos):

Caderno de desenho formato A5 ou A4.

Lápis 2B 4B 6B

Esferográfica

Caneta de tinta permanente

Marcadores de tinta permanente

Pincéis com reservatório.

Aguarelas de pastilha.

Cola em batom.

Outros a definir no decorrer da formação.

————————————————————–

INFORMAÇÕES

Número Máximo de Participantes: 15 (QUINZE)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE VALIDAÇÃO DAS INSCRIÇÕES.

Anúncios