DESENHO NO MUSEU

DESENHO NO MUSEU

Horário: 04 sessões (08h) | de 19 a 28 de maio de 2015 (ter., qui., sab.*) | Pós-laboral – ter., qui. (19h00 – 21h00)

* a confirmar

Curso Livre

Formador: António Gonçalves

ANTÓNIO GONÇALVES

António Gonçalves da Costa, nascido em Julho de 1975,  de nacionalidade Portuguesa. Frequentou a Escola Soares dos Reis, Porto. É licenciado em Artes Plásticas -Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Frequentou a Faculdade de Belas Artes de Cuenca-Espanha, ao abrigo do Projecto Erasmus 1998/1999.
Doutorando, na Universidade de Les Illes Balears, Palma Maiorca. É Artista Plástico e Director Artístico da Fundação Cupertino de Miranda, Vila Nova de Famalicão, desde 2002. Professor Auxiliar na Escola Superior Artística do Porto, extensão de Guimarães, desde 2001.

 

Destinatários:
Alunos das Belas Artes e de Arquitectura e público em geral com interesse pela área (ver CONDIÇÕES DE ACESSO).

 

Inscrição: 50% do valor total da propina |

Propinas:
Estudantes, Docentes e Funcionários da FBAUP/ UP:
 55,00 Euros |
Público em Geral: 68,00 Euros |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES ATÉ 04 DE MAIO de 2015

Candidaturas e Inscrição

Para candidatar-se, selecione a opção INSCRIÇÕES ONLINE

 

Introdução:

O museu é um espaço de contemplação, reflexão, informação, formação e descoberta. Dependendo da tipologia de museu, encontraremos uma linha de colecção e orientação para uma área de estudo. É neste espaço que temos a oportunidade de nos aproximarmos de determinados objectos ou conteúdos e prosseguir com o estudo dos mesmos, em observação ou pesquisa mais detalhada e aprofundada.
Desenhar no museu é estabelecer o encontro da intuição com a expressão do desenho. Desenvolver uma possibilidade de descoberta através da análise do desenho. Registar as aproximações de interesse perante a descoberta feita no espaço do museu.
Com esta formação procura-se uma visita e incursão no museu através do desenho. Ver as suas diversidades e usar o desenho como análise das colecções, na opção dos objectos como base de aproximação ao conhecimento. O desenho como ligação de estudo e fruição de entendimento.

Conteúdos:
O registo: procurar soluções de registo rápido para captura da forma ou conteúdo observado. Técnicas como a mancha, esboço rápido ou apontamento esquemático.
O desenvolvimento: estratégias de organização e compreensão dos conteúdos captados.
O estudo: desenvolvimento de estudo do(s) conteúdo(s) seleccionado(s), através de detalhes e de informação complementar.
O resultado: maior compreensão e entendimento do assunto optado.
Materiais (necessidades a colmatar pelos formandos):
Bloco de desenho ou caderno de desenho formato A5 ou A4.
Lápis 2B 4B 6B
Esferográfica
Caneta de tinta permanente
Pincéis com reservatório.
Aguarelas de pastilha.

———————————————————————————————————————-

Informações

Condições de acesso
O participante que se candidate a esta formação deve ter conhecimentos mínimos de desenho e pintura.

NÚMERO MÁXIMO DE INSCRIÇÕES: 15 (QUINZE)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE VALIDAÇÃO DAS INSCRIÇÕES.

Anúncios