NOVO! OFERTA FORMATIVA 2015/ 2016

Nota prévia: as datas apresentadas poderão estar sujeitas a alterações.

CERÂMICA E VIDRO

TÉCNICAS DE FUSÃO: MÓDULO 1
DECALQUE EM VIDRO FUNDIDO
ANA MARGARIDA ROCHA E ISABEL TRABULO
(a designar > a designar)
Um workshop onde serão realizados papéis de decalque cerâmico alternativos e económicos como substituição aos que existem no mercado. Pretende-se introduzir estes decalques em peças tridimensionais de vidro. No final será realizada uma pequena peça de vidro utilizando a técnica de kilncasting.

TÉCNICAS DE FUSÃO: MÓDULO 2
FUSÃO EM VIDRO RECICLADO
CRISTINA CAMARGO
(a designar > a designar)
Neste workshop será feita uma breve referência à história do vidro, do vidro de fusão e da sua presença na contemporaneidade; introdução teórica ao vidro como material; tipos de vidro e compatibilidades; fusão de vidro – ciclos de cozedura; processos técnicos de fusing e slumping; moldes; segurança e organização do espaço de trabalho.

 

DESENHO

DESENHO DE FIGURA HUMANA
RICARDO LEITE E FILIPE MATOS
08 de outubro 2015 > 18 de fevereiro 2016
Desenhar por observação direta será a característica basilar do curso. Os exercícios encadeiam-se num propósito pedagógico cujo principal objetivo é promover a prática do desenho como expressão individual. Pretende-se sensibilizar os participantes para a articulação da perceção com a representação, tendo em conta os diferentes materiais e meios expressivos, e desenvolver as capacidades críticas dos participantes no confronto, seja no que diz respeito aos resultados obtidos no decorrer das aulas, seja no que se refere à visualização de reproduções ou originais.
7,5 ECTS

TÊXTIL – ENTRE AS TRAMAS DO DESENHO
ISABEL QUARESMA
03 > 24 de novembro 2015
Este curso tem como objetivo dotar os estudantes de ferramentas que lhes permitam compreender as inúmeras possibilidades das interseções entre desenho, têxtil e corpo – fusão de ideias, materiais e competências. Tanto na similitude dos seus atos – possibilitando ao desenho a informação dada pelos processos têxteis como a tecelagem, malharia, estampagem e o bordado, como na construção de têxteis enquanto suporte de intervenção e invenção. Pretende-se que cada estudante, individualmente ou em grupo, desenvolva estratégias experimentais e críticas que lhes permitam obter processos criativos motivados por este espaço intersticial, que poderá constituir a base seminal de um projeto autoral.

OFICINA DE GEOMETRIA
VASCO CARDOSO
16 de fevereiro > 07 de junho 2016
Sem os constrangimentos próprios dos espaços e tempos institucionais para o ensino/aprendizagem da Geometria, pretende-se com este curso criar uma oficina informal de exploração dos conteúdos iniciais da abstração da forma na cooperação com o Desenho, sem deixar de inscrever oportunamente as abordagens teóricas próprias e centrais. Com o ambiente oficinal, espera-se criar um tempo e um espaço facilitador do desenvolvimento das aprendizagens que cada formando entender e ao seu próprio ritmo. Importa que o formador introduza os conceitos oportunamente, aclare aprendizagens, proponha rumos de exploração e colabore na gestão das aprendizagens.

 

EDUCAÇÃO ARTÍSTICA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES

DANÇA NA ESCOLA – ENSINO PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO
CRISTINA MENDANHA
WORKSHOP 1: 07 e 08 de outubro 2015 | WORKSHOP 2: 25 e 26 de novembro 2015 | WORKSHOP 3: 02 e 03 de março 2016
Conjunto de workshops sobre a temática do corpo que serão desenvolvidos com o objetivo de fomentar relações interdisciplinares entre pensamento e corpo. Os workshops de formação, de natureza intensiva e especializada na área da dança, têm por base uma estratégia de sensibilização junto dos professores para a problemática da dança nas escolas. Constatando o interesse e necessidade crescente dos educadores e professores do 1º ciclo por uma formação contínua mais especializada e sequencial, que colmate as carências de formação especializada na área das expressões artísticas, este conjunto de workshops irá oferecer propostas páticas de relacionamento entre a realidade pedagógica dos professores, as suas matérias disciplinares, as suas práticas didáticas e impor-lhes um olhar coreográfico que potencialize as suas competências pedagógicas.

UM ENCA(N)DEAMENTO SOBRE A GEOMETRIA DESCRITIVA
RICARDO PINHO
12 de outubro > 05 de novembro 2015
São objetivos desta formação promover alquimias entre a disciplina de Geometria Descritiva A e as demais disciplinas que integram os currículos dos cursos científico-humanísticos de Artes Visuais, Ciências e Tecnologias, ou outros; desenvolver uma consciência crítica em relação à dialética: conteúdos programáticos vs. matérias; identificar e racionalizar dogmas, mitos e incongruências que envolvem a disciplina; estabelecer possíveis relações entre a disciplina e situações reais ou virtuais; relacionar, sob um ponto de vista formal e etimológico, dois ou mais conteúdos programáticos.

ARTE CONTEMPORÂNEA E CULTURA VISUAL NA SALA DE AULA
Problemas e Perspetivas de Abordagem
MAGDA SILVA
1.ª EDIÇÃO: 06 e 20 de novembro 2015 | 04 e 18 de dezembro 2015 | 15 de janeiro 2016
2.ª EDIÇÃO: 01, 15 e 29 de abril 2016 | 13 de maio 2016 | 17 de junho 2016
Perante a relevância de uma paisagem contemporânea fortemente visual, este curso procura transportar o conceito de ‘aprendizagem do olhar’, destacável das diretrizes curriculares do ensino de Artes Visuais, para os estudos da Cultura Visual, propondo o seu aprofundamento. Em articulação procura-se propiciar uma abordagem pedagógica à Arte Contemporânea enquanto território de outros enfrentamentos e propostas de representação. Visando a exploração destes campos de possibilidades em contexto educativo, este curso procura situar um conteúdo político, pedagógico e cultural considerável no centro de uma discussão comprometida em refletir sobre a condição contemporânea de que os sujeitos escolares são objeto. Assim sendo, este curso propõe constituir um quadro coerente, do ponto de vista pedagógico, e consistente, do ponto de vista da fundamentação teórica, bem como da sua possibilidade de inscrição na prática letiva dos docentes.

EXPLORAÇÃO, IMPROVISAÇÃO E CRIAÇÃO NA APRENDIZAGEM MUSICAL
JOÃO COSTA
19 de janeiro > 25 de fevereiro 2016
A área das Expressões tem vindo a sofrer uma desvalorização nos currículos escolares em favor de áreas como a matemática, as ciências e as línguas. Em vez de aproveitar o potencial formativo e educativo das Expressões, a “escola” tem-se centrado em criar mecanismos de avaliação e aferição de competências cognitivas, desvalorizando as “soft skills” e as oportunidades de envolver as crianças e alunos em contextos formativos alternativos, que requeiram outras formas de estar, de pensar e de agir. Tendo em conta a dificuldade que as áreas das Expressões têm tido para se afirmar como componente relevante da formação dos alunos e crianças – junto dos responsáveis políticos, docentes de outras áreas e encarregados de educação – é necessário repensar qual a melhor forma de integração num sistema que, muitas vezes, é demasiado rígido, formatado e reativo perante a implementação de formas alternativas de envolver os alunos. Há também uma grande dificuldade sentida pelos professores ao nível da sua formação inicial que, em muitos casos, poderá ter sido desadequada ao tipo de currículo e população escolar que hoje se encontra nas escolas.

O LÁPIS DA NATUREZA – PROCESSOS FOTOGRÁFICOS ALTERNATIVOS
JOAQUIM JESUS
06 de abril > 25 de maio 2016
Esta ação de formação procura, através de uma jornada pelos discursos da fotografia, entender a imposição de um determinado tipo de olhar na perceção das coisas, não pretendendo determinar aquilo que é bem ou mal observado, mas sim “compreender como se fabrica um olhar coletivo, uma cultura visual: por que dispositivos, por que mecanismos de legitimação”, com que efeitos (Sicard, 2006:17). A ideia desta formação é propor ao formando, através de um diálogo entre uma fotografia com câmara e uma fotografia sem câmara (cianotipia), uma reflexão crítica sobre os dispositivos da visão. Isto porque, como sabemos, os dispositivos da visão têm moldado os nossos olhares e, portanto, os nossos saberes. Assim, pensar a maneira como olhamos para as coisas, a forma de ver, os posicionamentos privilegiados, são questões que nos podem levar a equacionar outras formas de ver e de dizer, de ser e de estar, no ensino em Artes Visuais, num processo de reflexão e crítica permanente sobre o terreno das nossas evidências.

 

ESCULTURA

INTRODUÇÃO À MOLDAGEM
ALCIDES RODRIGUES E RUTE ROSAS
10 de outubro > 21 de novembro 2015
Este curso propõe uma introdução aos processos e princípios técnicos usados na produção de moldes em gesso, tendo em vista a reprodução de objetos tridimensionais em diversas matérias, potenciando os conhecimentos básicos para a realização de edições e/ou múltiplos.

 

EXPRESSÃO CORPORAL, FOTOGRAFIA, CINEMA

EXPRESSÕES DISCURSIVAS: CINEMA, FOTOGRAFIA E CORPO
MADALENA NUNES e  Catarina Alves COSTA,  Paula GUERRA, David Pinho BARROS, Susana PAIVA, Sílvia CORREIA
20 de outubro > 4 de dezembro 2015
Curso que explora o domínio das técnicas fotográficas, videográficas e de expressão corporal para a produção de trabalhos originais. Formação de cariz prático, sustentada em suporte teórico, que aborda o corpo como sujeito de discurso na sua representação fotográfica e cinematográfica. Tem por objetivo dotar os participantes de conhecimentos teóricos e práticos para criação de filmes e fotografias que fazem a diferença; utilizar a fotografia e o vídeo como instrumentos de intervenção social; operacionalizar a instrumentalidade identitária da fotografia e das imagens em movimento; capacitar os formandos para a consciencialização corporal e a interpretação da linguagem corporal.

 

ILUSTRAÇÃO, EDIÇÃO E ESCRITA CRIATIVA

DA ESCRITA CRIATIVA AO LIVRO DE ARTISTA
GRACIELA MACHADO e Karen LACROIX, Filomena VASCONCELOS
14 de outubro > 26 de novembro 2015
As propostas de criação incluem o recurso à publicação como processo de descodificação e produção de conteúdos visuais. Aplicação de estratégias de criação e manipulação de arquivos, e maquetização. As propostas de edição incluem tratamento de imagem para pré-impressão e aplicação de várias técnicas de reprodução original da imagem, da transferência de xerox aos foto polímeros. As propostas de publicação dirigem-se a técnicas de montagem e encadernação criativa. As sessões de escrita criativa incluem os princípios práticos de narratologia e/ou prosódia e/ou dramaturgia; o reconhecimento de textos e técnicas de construção narrativa e/ou lírica e/ou dramática, com base em exemplos conhecidos de autores publicados; a prática de escrita nos diversos modelos de acordo com a especificidade do género, a extensão e finalidade do texto pretendido; a escrita e aperfeiçoamento do texto final selecionado para o livro de artista.

INICIAÇÃO À ILUSTRAÇÃO DIGITAL: PHOTOSHOP
JÚLIO VANZELER
05 de novembro > 17 de dezembro 2015
Aprender e desenvolver técnicas de ilustração digital com recurso ao programa Photoshop, através de uma série de exercícios práticos, nos quais serão exploradas algumas das ferramentas principais deste programa e a sua aplicação na ilustração. São objetivos compreender as ferramentas digitais e a sua aplicação na ilustração; aprender e desenvolver técnicas de manipulação de cor e textura, de criação de pinceis digitais; desenvolver técnicas de colagem digital e manipulação de fotografia, utilizar máscaras e layers e como aplicá-las na ilustração digital; aplicar os conteúdos programáticos na criação de ilustrações digitais de tema livre.

 

ANÁLISE E CRIAÇÃO DE PERSONAGENS E NARRATIVAS
GUILHERMINA CASTRO
01 de março > 10 de maio 2016
Qual o segredo de uma história bem contada? Desde tempos imemoriais, uma dualidade acompanha o ser humano: a daquele que vive este momento e a de um outro que observa e regista o que é vivido tanto numa esfera tangível como imagética. Na busca incessante para tornar um acontecimento perene ou, pelo contrário, de o libertar para um novo rumo de efemeridade, a narrativa surge como forma de representar, recriar, construir discursos, persuadir, assumindo diversas faces em campos amplamente constituídos (como a Arte, a História, a Publicidade, a Política…) ou na quotidiana descrição de pessoas, situações, anedotas… A narrativa e aqueles que a compõem – personagem, universo, intriga… – são constantes não apenas na Arte, mas em toda a nossa vida, que apela ao seu uso nas mais diversas esferas. Como compreender a complexidade das personagens em nosso redor? Como criar discursos narrativos de forma mais intensa, vívida e profunda? Como ajudar os outros – incluindo os mais jovens – a encontrar avenidas criativas? Este curso pretende abrir caminhos para este saber e para o prazer de o desbravar.

 

VISUAL RESEARCH: ILLUSTRATION AND DESIGN – INVESTIGAÇÃO VISUAL: ILUSTRAÇÃO E DESIGN
KAREN LACROIX e Catarina AZEVEDO, Fábio Duarte MARTINS, Hugo MOURA
04 de março > 27 de maio 2016
This course on visual research consists of a series of workshops that aim to investigate a variety of tools to analyze, deconstruct and challenge a given narrative. The focus of this course is on the design and illustration process, with the four tutors co-hosting workshops intersecting typography, calligraphy, bookbinding and illustration.

Este curso de pesquisa visual consiste numa série de workshops que visam investigar uma variedade de ferramentas para analisar, desconstruir e desafiar uma dada narrativa. O foco deste curso é sobre o processo de design e ilustração, com os quatro tutores dirigindo colaborativamente workshops sobre tipografia, caligrafia, encadernação e ilustração.

 

 

METODOLOGIAS E GENERALIDADES

ACADEMIC WRITING IN ENGLISH
DR ADRIAN CHAPMAN
(a designar > a designar)
1. Feeling at Ease with Writing in English
2. Issues in Grammar & Syntax – Via Imitation
3. Structure
4. More on Issues in Accuracy
5. Focus on Writing in Progress

FONTES DE INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DAS ARTES E HUMANIDADES
ISABEL BARROSO
1ª EDIÇÃO: 17 de outubro > 5 de dezembro 2015 | 2ª EDIÇÃO: 5 de março > 30 de abril 2016
Este curso tem como objetivos munir os formandos da informação necessária para procederem à organização da tese, no que respeita a sua estrutura (capa, margens, sumário, etc.) e, em termos normativos, conhecerem as regras de transcrição e de citação a utilizar na elaboração de referências bibliográficas; permitir a aquisição de conhecimentos e competências que se traduzam na pesquisa cuidada de artigos científicos, indexados em bases de dados temáticas e de referência, no âmbito das artes e humanidades; recuperar informação através da utilização de operadores booleanos; proceder ao download de artigos científicos online e criar alertas. Por último, utilizar o software Endnote – ferramenta essencial na gestão de referências bibliográficas – para organizar e garantir a normalização na apresentação da informação. É dirigido especialmente aos estudantes de mestrado e doutoramento para organização e gestão das referências bibliográficas na dissertação ou tese.

ESCRITA DE TEXTOS ACADÉMICOS NO ÂMBITO DAS ARTES E HUMANIDADES
DINIZ CAYOLLA
19 de fevereiro > 18 de março 2016
A capacidade de escrever de uma forma clara e eficaz assume um papel cada vez mais preponderante no mundo académico. Presentemente já não é apenas suficiente redigir dissertações ou teses para concluir os ciclos de estudo; é também necessário apresentar comunicações e escrever textos académicos (“papers”) que possam ser publicados em revistas “peer review”.
O curso “Escrita de Textos Académicos no Âmbito das Artes e Humanidades” procura responder a essa crescente necessidade, chamando a atenção para quatro áreas fundamentais da investigação e escrita científica: argumento, abordagem, problemática e estrutura.

 

 

MULTIMÉDIA

RHINO 3D E VRAY
IVO GARCIA
07 de outubro > 27 de novembro 2015
Esta formação dotará os formandos de um conhecimento sólido sobre como desenhar a 2D e modelar a 3D com o software Rhinoceros, colmatando o processo com a aprendizagem do Vray, um plug-in que irá permitir a criação de imagens renderizadas de modo foto realista no final do processo.

A CRIAÇÃO DE IMAGENS 3D FOTO REALISTAS EM CINCO PASSOS
IVO GARCIA
03 > 19 de fevereiro 2016
O curso está organizado de forma a desenvolver conhecimentos a um nível fundamental para quem quer desenvolver novas competências no atual mercado do 3D. Serão abordados os métodos e as ferramentas mais indicadas para elevar trabalhos a um novo patamar, utilizando a modelação orgânica e parametrizada do 3dsMax e utilizando um sistema de câmaras, iluminação e materiais com o Vray. O processo é focado em cinco passos objetivos e escalonados:
modelo, câmara, luz, material e imagem.

BLENDER + CYCLES (OPENSOURCE) & IMPRESSÃO 3D
RICARDO ADRÊGO E TIAGO PINHO
05 de abril > 26 de maio 2016
Domínio das ferramentas de modelação; domínio das ferramentas de sculpting; domínio das ferramentas básicas de animação; domínio das ferramentas de exportação (diversas extensões de ficheiros, impressão 3D, workflows); domínio do Motor de Render Cycles (materiais e Iluminação, HDRi, etc); domínio do software CURA (software de impressão).

 

 

PINTURA

CURSO PRÁTICO DE PINTURA: TÉCNICAS BÁSICAS
SOFIA TORRES
07 de outubro 2015 > 01 de junho 2016
Nesta formação pretende-se fazer uma abordagem teórico-prática a diversas técnicas de expressão artística. É uma formação direcionada desde ao aprendiz mais inexperiente a alunos com outros graus de experiência intermédia que desejem ampliar a sua experiência curricular e aprofundar conhecimentos a nível de determinadas tecnologias enquadradas no processo pictórico da pintura. Pretende ser um espaço no qual se privilegia uma experimentação prática das várias técnicas a serem abordadas, para que gradualmente se construa uma sólida base de conhecimentos no processo oficinal do exercício da Pintura, que propiciem ao discente ferramentas para uma reflexão e fundamentação consistente e objetiva na escolha das suas metodologias práticas para o desenvolvimento de um projeto pictórico.
15,5 Créditos ECTS (Unidade de Formação Contínua)
5.1 UC (CCPFC) – Professores dos Grupos 240 e 600

CURSO PRÁTICO DE PINTURA: TECNOLOGIAS E MÉTODOS PROCESSUAIS
DOMINGOS LOUREIRO E SOFIA TORRES
22 de outubro 2015 > 26 de abril 2016
Direcionado a candidatos com formação em Arte ou interessados na progressão da prática da Pintura de paisagem, o curso tem como objetivo o desenvolvimento de duas vertentes específicas: o domínio técnico e a prática projetual.
O primeiro pressupõe o conhecimento profundo da técnica e a sua adaptação a um programa proposto pelo formando, num projeto individual de pintura.
A atividade projetual procura o desenvolvimento, em ateliê, de um programa assente nos interesses particulares de cada formando, encadeado com uma noção abrangente de paisagem, numa lógica não só epistemológica, mas principalmente pelo seu interesse contemporâneo.
O curso foca os diversos aspetos que compõem a genealogia da Pintura de paisagem e procura posicioná-la num contexto atual, quer perante preocupações que afetem o género de Pintura de paisagem, quer pelo uso multifacetado do termo paisagem.

PRÁTICAS E TÉCNICAS DE PINTURA ATUAIS
DOMINGOS LOUREIRO
09 >23 de novembro 2015
Nesta formação pretende-se fazer uma abordagem teórico-prática relativamente às novas técnicas e práticas da pintura na contemporaneidade, de forma a desenvolver mais uma ferramenta em termos práticos para a progressiva autonomia artística do discente. Pretende ser um espaço onde se privilegia uma experimentação prática das várias metodologias a serem abordadas, de forma a construir uma sólida base de conhecimentos no processo oficinal do exercício da Pintura, e que propiciem, ao discente, ferramentas para uma reflexão e fundamentação consistente e objetiva, na escolha das suas metodologias práticas para o desenvolvimento de um projeto pictórico.

A LUZ COMO MATÉRIA DA PINTURA
DOMINGOS LOUREIRO
04 >12 de abril 2016
Formação teórico-prático de pequena duração durante a qual se apresentará a importância da luz na pintura, nomeadamente o modo como esta está associada a alguns movimentos artísticos e qual a sua participação na construção de formas e na acentuação expressiva e emocional das pinturas. O workshop será constituído por aulas teóricas e pequenos exercícios práticos de demonstração de alguns dos fenómenos tratados. Alguns exemplos a apresentar são Caravaggio, Corot, Monet, Matisse, Chirico, bem como autores do universo da fotografia e do vídeo. Os exercícios práticos constituem-se como atos empíricos de compreensão dos conceitos apresentados maioritariamente em Desenho.

Anúncios