ARTE CONTEMPORÂNEA E CULTURA VISUAL NA SALA DE AULA: PROBLEMAS E PERSPETIVAS DE ABORDAGEM

Horário: 5 sessões (16 Horas) de 15 de abril a 01 de julho de 2016 (sexta-feira) | Pós-laboral (19h00 > 22h00)

1ª sessão: 15 de abril
2ª sessão: 29 de abril
3ª sessão: 13 de maio
4ª sessão: 27 de maio
5ª sessão: 01 de julho

Créditos: 0.6 UC (CCPFC) Professores do Grupo 240 do 2º Ciclo e dos Grupos 530 e 600 do 3º Ciclo do Ensino Básico

Formadora: Magda Silva

Destinatários: Professores de Artes Gráficas/Artes Visuais do grupo 240 do 2º ciclo e dos grupos 530 e 600 do 3º ciclo do ensino básico.
Interessados na área da educação artística.

Propinas:

Inscrição: 50% do valor da propina (deduzido ao valor abaixo indicado)
Estudantes, Docentes e Funcionários UP/FBAUP: 70,00 Euros |
Público em Geral:  90,00 Euros |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES ATÉ 25 DE MARÇO DE 2016.

Candidaturas e Inscrição

Para candidatar-se, selecione a opção INSCRIÇÕES ONLINE

Introdução:

A FBAUP é uma unidade orgânica da Universidade do Porto ligada ao ensino, investigação e formação no campo alargado das artes. Ao nível da formação contínua há já uma tradição ao nível do desenvolvimento de acções dirigidas a diferentes tipos de público, mas não especificamente a docentes do ensino básico, 3º ciclo e secundário. Deste modo, procura-se, a partir desta ação, ocupar um espaço cuja oferta, ao nível de outras instituições e centros de formação, não tem sido pensada especificidades inerentes ao grupo 240, 530 e 600. Assim, e embora esta ação se foque em conteúdos cuja importância é mais abrangente, ela imagina-se em resposta a necessidades e urgências de formação ao nível desse grupo de docência. A Faculdade de Belas Artes, pela herança e qualidade do trabalho nela desenvolvido na formação de artistas e professores de artes, surge como um espaço natural para o desenvolvimento desta ação.
Perante a relevância de uma paisagem contemporânea fortemente visual, este curso procura transportar o conceito de aprendizagem do olhar, destacável das directrizes curriculares do ensino de artes visuais, para os estudos da Cultura Visual, propondo o seu aprofundamento. Em articulação procura-se propiciar uma abordagem pedagógica à Arte Contemporânea enquanto território de outros enfrentamentos e propostas de representação.
Visando a exploração destes campos de possibilidades em contexto educativo, este curso procura situar um conteúdo político, pedagógico e cultural considerável, no centro de uma discussão comprometida em reflectir sobre a condição contemporânea de que os sujeitos escolares são objecto. Assim sendo, este curso propõe constituir um quadro coerente, do ponto de vista pedagógico, e consistente, do ponto de vista da fundamentação teórica, bem como da sua possibilidade de inscrição na prática lectiva dos docentes.

Objetivos:

  • Compreender a educação artística como campo de possibilidade de integração crítica do universo visual contemporâneo.
  • Compreender formas de abordagem à arte contemporânea enquanto prática cultural e política de relevância pedagógica.
  • Conceber estratégias de questionamento, interpretação e desconstrução/construção de imagens e/ou dispositivos visuais.
  • Entender a cultura visual contemporânea como manancial discursivo, político e pedagógico com implicações na construção das identidades das crianças e dos jovens.
  • Desenvolver propostas didácticas no campo das artes visuais baseadas em actividades de projecto, privilegiando processos de trabalho.

Programa:

Semana 1:
Introdução à Cultura Visual
1. A educação do olhar como directriz curricular convencionada.
1.1. A relevância da história da arte e do discurso modernista nos programas de artes visuais.
1.2. Imagens predominantes e proposições de análise.
2. Construção de identidades e passividade.
2.1. Cultura contemporânea, visual e quotidiana.
3. Relevância/ pertinência de uma abordagem à cultura visual em contexto lectivo.
(3 horas)

Semana 2:
O Contemporâneo
1. Arte contemporânea enquanto prática cultural e política de relevância pedagógica.
1.1. Descompartimentação, pluralidade e problemas de abordagem.
1.2. Criticalidade, questionamento e processo de pensamento.
2. Relevância/ pertinência da arte contemporânea em contexto lectivo.
(3 horas)

Semana 3:
Sessão de discussão de textos, vídeos e ou imagens.
(3 horas)

Semana 4:
Práticas lectivas
1. Propostas de trabalho por projecto.
1.1. O processo e o produto final.
2. Apresentação da proposta para avaliação aos formandos.
(3 horas)

Semana 5: (um mês depois das 4 sessões anteriores)
Apresentação e discussão dos projectos realizados pelos formandos.
(4 horas)

—————

INFORMAÇÕES:

Número máximo de participantes: 25 (vinte e cinco)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE VALIDAÇÃO DAS INSCRIÇÕES.

CONDIÇÕES DE FREQUÊNCIA DA AÇÃO
– Ser detentor de habilitação profissional para a docência nos grupos de recrutamento 240, 530 e 600.

REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

Assiduidade – 20%
Participação nas discussões desenvolvidas – 40%
Trabalho final – 40%

• Avaliação da pertinência da participação nas discussões propostas e presença assídua.
• Qualidade dos trabalhos escritos, de carácter individual ou de grupo (se justificável).

O referencial da escala de avaliação será previsto no nº 2 do artigo 46º do Estatuto da carreira Docente, aprovado pelo Decreto-lei nº 15/2007, de 19 de Janeiro:
Excelente – de 9 a 10 valores
Muito Bom – de 8 a 8,9 valores
Bom – de 6,5 a 7,9 valores
Regular – de 5 a 6,4 valores
Insuficiente – de 1 a 4,9 valores

Não serão certificados formandos cuja participação seja inferior a dois terços da duração do curso de formação, conforme o entendimento do Conselho Científico da formação Contínua, descrito no ponto nº 2 da Carta Circular CCPFC 1/2007.

MODELO DE AVALIAÇÃO DA AÇÃO
O presente Curso de Formação é pensado para decorrer em ambiente de seminário. Assim as discussões propostas em cada sessão partirão de materiais propostos e/ou pedidos pela formadora com recurso à apresentação de conteúdos teóricos, visualização de filmes e/ ou imagens e fornecimento de textos.
Uma última sessão dedicar-se-á à apresentação e discussão dos trabalhos realizados pelos formandos.

BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL

Agamben, Giorgio.O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Argos, Chapecó, 2009.

Bauman, Zygmundt. Modernidade líquida. Zahar, 2001.

Berger, John. Modos de ver. Editorial Gustavo Gili, 2005.

Hernández, Fernando. Espigador@as de la cultura visual, Outra narrativa para la educatión de las artes visuales. Ediciones Octaedro, 2007.

Rancière, Jacques. O espectador emancipado. Orfeu Negro, 2010.

Panh, Rithy. (Realizador). (2013). A imagem que falta. [documentário]

Macdonald, Kevin; Andreadis, Natalia & Michael, Joseph. (Direcção). (2011). Life in a day. [documentário]

Anúncios