NOVO PRAZO! WORKSHOP DE DESENHO E EDIÇÃO: DESENHO URBANO EM DERIVA

WORKSHOP DE DESENHO E EDIÇÃO:

DESENHO URBANO EM DERIVA

Horário:  8 sessões (24 Horas) | de 17 de Junho a 22 de Julho de 2016 (sextas e sábados) | Pós-laboral e sábados

1ª sessão, dia 17 de Junho, sexta-feira: das 19h00 às 22h00
2ª sessão, dia 18 de Junho, sábado : das 10h00 às 13h00
3ª sessão, dia 01 de Julho, sexta-feira: das 19h00 às 22h00
4ª sessão, 08 de Julho, sexta-feira : das 19h00 às 22h00
5ª sessão, 09 de Julho, sábado: das 15h00 às 18h00
6ª sessão, 15 de Julho, sexta-feira: das 19h00 às 22h00
7ª sessão, 16 de Julho, sábado : das 10h00 às 13h00
8ª sessão, 22 de Julho, sexta-feira: das 19h00 às 22h00

CRÉDITOS: 2,5 ECTS (aguarda acreditação)

Formadores: GRACIELA MACHADO, KAREN LACROIX e RUI NETO

DESTINATÁRIOS: Estudantes de Artes Plásticas, artistas, professores, público em geral com vontade de desenhar e traduzir a paisagem urbana.

Taxa de Inscrição: 50% do valor total da propina (deduzido ao valor abaixo indicado)

Propinas:
Estudantes , Docentes e Funcionários UP/FBAUP: 120,00 Euros |
Público em Geral: 140,00 Euros |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES: DE 21 DE MARÇO ATÉ 10 DE JUNHO DE 2016.

Candidaturas e Inscrição

Para candidatar-se, seleccione a opção INSCRIÇÕES ONLINE

DESCRIÇÃO:

O desenho em cadernos de viagem é uma prática antiga, reconhecida em cadernos de diversos artistas, mas também numa população jovem de uma classe média-alta desde o século XVII, num itinerário ao longo da Europa, apelidado de Grand Tour. Em torno destas viagens, geraram-se inúmeras ilustrações impressas pelas técnicas da gravura, dispersas nas revistas ilustradas ainda no século XIX, numa abordagem que procurava assinalar os locais de maior interesse turístico. Hoje, esta prática recolectora pode conciliar as várias vertentes, do desenho à fotografia, passando pela gravura, para afinal representar um percurso que procura ver. Pelo desenho de observação iremos voltar ao espaço e aí encontrar uma componente de intimidade, vivencial, de quem viaja, recolhe e reporta, inerente ao caderno; pelo desenvolvimento de ilustrações criadas a partir da gravura, ou mesmo da fotografia convertida em imagem impressa pela gravura, iremos completar as histórias sobre estes espaços.
Este workshop propõe a prática da observação através de vários meios de registo e tradução, tendo por princípio a paisagem urbana e o seu levantamento a partir de percursos pedonais, desenho de observação, criação de gravura de interpretação a partir da fotografia, com o propósito de recolha de novas imagens, novas leituras sobre um espaço. A criação, a edição e a produção de um objecto cultural irão pois resultar deste processo de investigação.

OBJECTIVOS:

Criar percursos registados através do desenho, da gravura, através de derivas pela cidade do Porto, mais concretamente através de espaços, que se têm mantido em ‘reserva’ em relação à normal progressão da Cidade. Editar o conjunto dos percursos em formato livro, incorporando vários processos de produção e reprodução da imagem.

 

COMPETÊNCIAS E RESULTADOS DA APRENDIZAGEM:

– Contribuir para optimizar as competências do desenho na recolha de informação e análise de conteúdos;
– Ajudar a formar imagens e conceitos adequados à realização de diferentes exercícios e projectos;
– Contribuir para o desenvolvimento de uma metodologia de projecto;
– Promover a reflexão e espírito crítico;
– Adquirir competências de manipulação/experimentação das imagens baseadas no desenho, na edição, assegurando a capacidade da sua futura integração nas práticas criativas individuais;
– Desenvolver a autonomia da produção e da edição do pensamento gráfico;
– Adquirir conhecimentos técnicos essenciais a uma adequada exploração dos meios, suportes e instrumentos situados no desenho, na gravura;
– Promover uma abordagem ao desenho motivada por diferentes aplicações e a articulação com as práticas da gravura, do editorial.

 

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS:

Conciliar uma forte e recíproca relação entre o desenho e a edição:
-Objectivo: criação de guias ficcionados ou docuficcionados baseados na cidade do Porto, mais especificamente num Porto que é omisso aos normais fluxos existentes na cidade.
– Manter forte componente de desenho de observação, articulado com sessões em que também a fotografia e a análise cartográfica serão instrumentos de trabalho.
– Usar a componente editorial para continuar a gerar conteúdos baseados quer na reprodução através de dispositivos reprodutivos comuns(fotocopiadoras), quer pela sua manipulação através de estratégias de corte, montagem. Prolongar a componente de reprodução criativa numa abordagem à gravura de registo directo nos espaços seleccionados e seu uso editorial, assim como fotografia editada através da calcografia

CRONOGRAMA:
1ª sessão – Apresentação; Preparação de dispositivos de recolha: cadernos, matrizes, ferramentas.
2ª sessão – Análise cartográfica e deslocação ao terreno. Desenho em Deriva. Estratégias do Desenho, Movimento e Representação.
3ª sessão – Edição de conteúdos. Sessão teórica prática de explicação de processos de recolha ágeis de gravura a partir do espaço.
4ª sessão – Gravura a partir da fotografia. Métodos de manipulação de imagem e sua edição.
5ª sessão – Reconhecimento do Território Urbano. Desenho a partir da Fotografia e da Cartografia.
6ª sessão – Edição de conteúdos.
7ª sessão – Desenho de observação.
8ª sessão – Edição de conteúdos e publicação.

—————————————————–

INFORMAÇÕES:

NÚMERO  MÁXIMO DE PARTICIPANTES: 15 (quinze)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE VALIDAÇÃO (pagamento) DAS INSCRIÇÕES.

AVALIAÇÃO:

A avaliação centra-se na observação do desempenho de cada estudante:
Ensaios experimentais mantidos, constituído por desenhos, maquetes, provas de estado.
Consideram-se ainda os seguintes parâmetros:
Aquisição de competências técnicas adequadas a edição de guia docuficcional
Originalidade e qualidade do projecto editorial concretizado

A avaliação será contínua, contando no final com uma avaliação geral dos trabalhos, de forma a classificar os conhecimentos adquiridos e evolução, sustentada nos seguintes parâmetros:
Assiduidade: 20%
Participação/Evolução: 30%
Trabalho individual: 40%
Originalidade e qualidade: 10%
A avaliação será quantitativa numa escala de 0 a 20 valores

Bibliografia principal
CHIPPERFIELD, David, Common Ground, Venice, La Biennale di Venezia, 2012 M.
TAVARES, Gonçalo, Atlas do Corpo e da Imaginação, Alfragide, Editorial Caminho, 2103
McDONOUGHT, Tom, Guy Debord and the Situacionist International, Massachusetts, MIT Press, 2004
MOLINA, Juan José Gómez, Estratégias del Dibujo, en la Arte Contemporânea, Madrid, Cátedra, 1999
ROCK, Irvin, Indirect Perception, Massachusetts, MIT Press, 1996

Anúncios