CANCELADO! COMO MANUSEAR OBJETOS ARTÍSTICOS

*CANCELADO!*

COMO MANUSEAR OBJETOS ARTÍSTICOS

Horário: 04 sessões (12h) | de 04 a 25 de outubro de 2017 (qua.) | Pós-laboral (19h00 > 22h00)

LIVRE (SEM CRÉDITOS)

Formadora: Micaela Duarte

Coordenadora Científica: Professora Doutora Rute Rosas

MICAELA DUARTE
Conservadora restauradora, licenciada e mestre em conservação e restauro pela Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa 2001/2007. Realiza intervenções de conservação e restauro na área dos metais, ourivesaria e objetos decorativos, tendo participado na inventariação de espólio móvel de igrejas. Lecionou as disciplinas de Conservação Preventiva, Ética da Conservação, e Higiene e Segurança no Curso de Conservação e Restauro do Património na Universidade Portucalense Infante Dom Henrique. No âmbito da Bolsa de Investigação SFRH/BI/51524/2011 da Fundação para a Ciência e Tecnologia, nos últimos cinco anos desenvolveu trabalho de investigação, conservação e restauro de materiais arqueológicos, no Laboratório de Conservação e Restauro do Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa em Braga, tendo prestado apoio a outras instituições detentoras de património ao nível das boas práticas da conservação preventiva, realizando pareceres e fazendo acompanhamento de trabalhos de conservação e restauro. Realizou várias formações e workshops ligados à área da Conservação de Património.

Destinatários:
Maiores de 18 anos.
(Preferencialmente) Estudantes e graduados em Artes, Arquitetura, História.
Colecionadores; público em geral com interesse na área do Património Artístico.

Propinas:
Inscrição: 50% do valor da propina (deduzido ao valor abaixo indicado)
Estudantes, Docentes e Funcionários da FBAUP/ UP:  85,00 Euros |
Público em Geral: 105,00 Euros |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES ATÉ 20 DE SETEMBRO DE 2017

Para candidatar-se, selecione a opção INSCRIÇÕES ONLINE

Descrição
Como manusear e embalar objetos artísticos?  – esta questão surge cada vez que é necessário deslocar ou transportar um objeto, tanto para exposição e montagem, como para reserva em galeria de museu. Os cuidados a ter com o manuseio de cada peça variam de acordo com a sua fragilidade, tipo de matérias que o compõem, tipologia de coleção, forma e dimensão. A embalagem que este objeto necessita vai depender, para além das suas características intrínsecas, do tipo de circulação que este irá fazer, interna ou externa, transporte de curta ou longa duração. Estas questões inserem-se nos princípios de conservação preventiva, aplicáveis não só ao nível dos museus e galerias de arte, mas também no nosso dia-a-dia. Estes conhecimentos serão úteis aos participantes na sua vida profissional, tanto para acondicionamento dos seus trabalhos artísticos para exposição, como quando lidarem com coleções de museus e galerias de arte.

Objetivos
Pretende-se com esta unidade de formação desenvolver nos formandos a capacidade de avaliação de riscos inerentes à deslocação e transporte de objetos artísticos, aumentar o seu grau de conhecimento dos materiais de embalagens e suas finalidades, bem como a capacidade de planear uma embalagem e transporte do objeto artístico adequado a cada situação.

Programa
Sessão 1

  1. Objetos, grandes ou pequenos? Como manusear?
    • Tipologia de coleção – fragilidades.
    • Avaliação de risco

Sessão 2

  1. Circulação interna e externa de objetos artísticos
    • Montagem de exposições
    • Embalagem em Reserva

Sessão 3

  1. Materiais de embalagem – os bons, os maus e os possíveis
    • Proposta de trabalho
    • Exercícios de práticos de embalagem

Sessão 4

  1. Exercícios de práticos de embalagem
    • Apresentação e discussão de trabalhos dos alunos

Informações

Modo de pagamento:

Taxa de inscrição: paga no ato da inscrição. SEM ESTE PAGAMENTO A INSCRIÇÃO NÃO É CONSIDERADA.

Propina e seguro escolar: pagos até data anterior ao início do curso.

A frequência desta unidade de formação pressupõe o pagamento integral dos valores associados à mesma antes da sua data de início.

Número máximo de participantes: 15 (QUINZE)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE PAGAMENTO DAS INSCRIÇÕES.

Certificação:

Aos participantes será atribuído um certificado de frequência.

A emissão e atribuição de qualquer tipo de certificado estão condicionadas à frequência do curso (mínimo 75%) não excedendo o limite de faltas.

No caso de o formando exceder o limite de faltas não tem direito a qualquer certificado.

O pedido de emissão de certificado é feito por escrito para formcontinua@fba.up.pt e a emissão está sujeita a pagamento de emolumentos no valor representado na tabela em vigor.

BIBLIOGRAFIA:

CAPLE, Chris, Preventiv conservation in Museums – Departement of MuseumStudies, Brithish Library 2011
CARTA EUROPEIA DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA, Vantaa, Setembro de 2000
CASA NOVA, Luís Elias – Conservação Preventiva e Preservação das Obras de Arte, Lisboa 2008
CONSERVAÇÃO PREVENTIVA- Vade Mecum, IPCR
CHOAY, Françoise, A alegoria do património, Edições 70, Lisboa 1970
INSTITUTO PORTUGUÊS DE MUSEUS, Temas de Museologia: Plano de Conservação preventiva, Bases Orientadoras, normas e procedimentos, Lisboa 2007
INSTITUTO PORTUGUÊS DE MUSEUS, Temas de Museologia: Circulação de bens culturais móveis, Lisboa, 2004
THE NATIONAL TRUST, Manual of Housekeeping, The care of collections in historic houses open to the public. – Brithish Library, 2006

Anúncios