A EXPERIÊNCIA DA PAISAGEM – DA PINTURA AO AR LIVRE AO ENVOLVIMENTO NATURAL

A EXPERIÊNCIA DA PAISAGEM – DA PINTURA AO AR LIVRE AO ENVOLVIMENTO NATURAL

Horário: 04 sessões (24h) | de 07 a 28 de julho de 2018 (sábado) | Diurno (09h30 > 12h30 | 14h00 >17h00)

Créditos: 3 créditos ECTS (aguarda acreditação e creditação)

Formadora: Joana Patrão

Coordenação Científica: Professor Doutor Domingos Loureiro

Joana Patrão

Concluiu o Mestrado em Pintura com 19 valores na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, em 2016.
Das várias exposições individuais e coletivas que realizou destacam-se :
2017 – Reencenação à distância, Galeria Brevemente, organização Oficinas do Convento, Montemor-o-Novo; Sobre a noite cósmica, GNRation, Braga [projeto desenvolvido em parceria com Adriana Romero]; Incerta Desambiguação / Catarse, Galeria Zaratan, Lisboa; C U V E T E’17, Snow Cannon, Aveiro; I Have Something Important to Tell You: A Postcard to a Friend I Haven’t Met Yet. Soar Emerging Artist Festival; Gallery at Casa, Lethbridge, Alberta, Canadá. [c/ catálogo]; Lethes art: “Memória e Identidade”, Casa da Garrida, Ponte de Lima. [c/ catálogo]
2016 – A Paisagem enquanto experiência. Mar: Imersão e Viagem [Parte integrante das Provas Públicas de Mestrado], Museu da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto; E como estrelas/ duplas/ consanguíneas, luzimos de um para o outro/ nas trevas, Casa do Vinho, Barcelos.
2015 – Immersion. Experiments in Spacialiy and Multisensority, ADD.Lab, Espoo, Finlândia; sem, Galeria Painel, Rua das Taipas, Porto.
Desde 2014, tem participado em várias residências artísticas, tanto em Portugal como no estrangeiro. Em 2015, enquanto bolseira Erasmus+, frequentou a Aalto University School of Arts, Design and Architecture, período durante o qual teve oportunidade de contactar diferentes artistas e panoramas e de desenvolver novos projetos.

https://www.linkedin.com/in/joanapatrao/
http://cargocollective.com/joanapatrao

Destinatários:
Estudantes de áreas artísticas e público em geral, mediante apresentação de certificação básica em Pintura e/ ou Desenho.

Propinas (VER CONDIÇÕES DE PAGAMENTO):
Estudantes, Docentes e Funcionários da FBAUP/ UP:
105,00 Euros |
Público em Geral: 130,00 Euros |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES ATÉ 22 DE JUNHO DE 2018

Selecione a opção INSCRIÇÕES ONLINE

Apresentação
Esta unidade de curta duração apresenta-se como uma proposta de exploração da Pintura de Paisagem através de uma componente prática. A unidade possibilita a oferta de uma abordagem prática fora do espaço do estúdio, desenvolvendo-se num contacto direto com a Natureza (com a possibilidade de funcionar nos Jardins da FBAUP).

Objetivos
– Apresentar as práticas de pintura no discurso da Paisagem e enquadrar distintos modos de abordagem através das quais a Natureza é transformada em imagem (paisagem);
– Introduzir contextos e propostas de exploração da pintura de Paisagem e de meios de envolvimento com o local: da representação ao vivo, a adequação da técnica à experiência da Natureza, a introdução de elementos e ações naturais;
– Analisar a relação entre o contexto (Natureza) e as imagens produzidas (Paisagem), através da análise dos trabalhos desenvolvidos pelos participantes;
– Desenvolver bases técnicas da pintura, métodos de registo, ferramentas experimentais, por via de exercícios práticos;
– Suscitar um interesse pela pintura de Paisagem e por diferentes formas de se relacionar com a natureza, refletindo nas suas implicações.

1ª parte – A pintura ao ar livre. A representação da Paisagem.
 Introdução. Pintura ao ar livre. [Naturalismo. A escola de Barbizon]
– Primeiras experiências em papel. Experiências com cliché-verre

Pintura ao ar livre. O estudo.
– Exercício prático.

2ª parte – A pintura ao ar livre. A experiência da Paisagem.
Pintura ao ar livre – a captação da impressão fugidia. [Impressionismo]
– Experimentação prática.

Pintura ao ar livre – a pincelada e a cor na captação da experiência.
– Desenvolvimento de uma pintura.

3.ª parte – A pintura em colaboração com a Natureza. O envolvimento ativo.
Dentro da Paisagem, matérias e contextos naturais (Land art, Natural art)
– Experiências de relação com a Natureza na produção de imagens.

O envolvimento ativo.
– Exercício prático.
– Reflexão final e visualização dos trabalhos desenvolvidos.

A lista de materiais a trazer para as sessões será divulgada posteriormente.

—–

Informações

Condições de pagamento:

50% do valor total da propina: pago no ato da inscrição. SEM ESTE PAGAMENTO A INSCRIÇÃO NÃO É CONSIDERADA.

Valor remanescente da propina: pago até data anterior ao início da unidade, após confirmação de constituição de turma.

Número máximo de participantes: 15 (QUINZE)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE VALIDAÇÃO DAS INSCRIÇÕES

Método de avaliação:
Tendo em conta as características desta unidade, a avaliação focar-se-á na capacidade de resposta às propostas práticas. Serão consideradas as competências técnicas, em especial as de experimentação – exploração de materiais e processos.
A avaliação será contínua e complementada por um momento de avaliação final que irá considerar os conhecimentos adquiridos e o nível de comprometimento e evolução do formando. Numa escala de 20 valores (de 0 a 20) será atribuída uma classificação, apoiada nos seguintes pontos:

– Assiduidade – 15%

– Participação/ motivação/ evolução (observada ao longo das sessões) – 35%

– Trabalho individual – 50%

  • Sentido crítico;
  • Qualidades plásticas, capacidade de resposta às propostas e aplicabilidade dos conteúdos.

A aprovação do formando, a verificar-se, será feita numa escala positiva de 10 a 20 (conforme consta do Regulamento de Criação, Acreditação Interna e Creditação dos Cursos de Formação na Área de Educação Contínua da UP).

Certificação:

Se solicitado, aos  participantes será emitido:

– um certificado de formação contínua com classificação quantitativa e créditos.

A prova de habilitação académica superior, quando solicitada, é da exclusiva responsabilidade do formando e tem de ser apresentada até data anterior ao início da mesma.

Aos participantes que desejem frequentar a unidade de formação na vertente LIVRE (sem classificação e sem créditos) será emitido:

– um certificado de frequência.

A opção dos formandos de frequentar esta unidade na vertente livre é tomada impreterivelmente em data anterior ao seu início, e comunicada por escrito em formulário próprio.

A emissão e atribuição de qualquer tipo de certificado estão condicionadas à frequência do curso/ unidade de formação (mínimo 75%) não excedendo o limite de faltas.

No caso de o formando exceder o limite de faltas e/ou não obter aproveitamento após processo avaliativo, não tem direito a qualquer certificado.

O pedido de emissão de certificado é feito por escrito para formcontinua@fba.up.pt e a emissão está sujeita a pagamento de emolumentos no valor representado na tabela em vigor.

BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL:
Andrews, M. (1999).
Landscape and Western Art. New York: Oxford University Press.
Câmara, J. B. (1996). Do espírito do pintor ao olhar do filósofo: Maurice Merleau-Ponty e Paul Cézanne, Lisboa: Salamandra.
Kastner, J. (ed.) & Wallis, B. (survey). (1998). Land and Environmental Art, London: Phaidon.
Merleau-Ponty. (1992). O Olho e o Espírito, (7ª Ed). Lisboa: Edições Vega.
Smithson, R. (1968). “A Sedimentation of the Mind: Earth Projects”. In Flam, J.(ed.)(1996). Robert Smithson: the collected writings (pp.100-113). Berkeley: University of California Press.

Anúncios