TÉCNICAS DE DESENHO

TÉCNICAS DE DESENHO

Horário: 6 MÓDULOS DE 3h | de 22 de junho a 27 de julho de 2019 (sábados) | das 14h30 às 17h30

WORKSHOP (SEM CRÉDITOS)

Nota: o horário de realização das sessões inclui o período para preparação e arrumação dos materiais.

Formador: António Gonçalves

ANTÓNIO GONÇALVES
Frequentou a Escola Artística de Soares dos Reis, Porto. Licenciatura em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Frequentou a Faculdade de Belas Artes de Cuenca, Espanha, ao abrigo do Projeto Erasmus 1998/ 1999. Doutorando em História da Arte, na Universidade de Les Illes Balears, em Palma de Maiorca. Foi Professor na ESAP, extensão de Guimarães, de 2001 a 2014. Diretor Artístico da Fundação Cupertino de Miranda Vila Nova de Famalicão entre 2002 e 2018. Diretor artístico da Galeria Municipal Ala da Frente, Vila Nova de Famalicão, desde 2015. Artista Plástico. Em 2017, teve exposto no Centro Cultural de Belém a sua “contemplação particular” sobre as “Tentações de Santo Antão” , na Praça CCB (https://www.ccb.pt/Default/pt/Programacao/ConferenciasCursosEOutros?a=1042).

www.oantoniogoncalves.com

Destinatários:
Todos os interessados na prática do desenho, com conhecimentos básicos.

Propinas (VER CONDIÇÕES DE PAGAMENTO):
Estudantes , Docentes e Funcionários UP/FBAUP:
15,00 Euros cada módulo |
Público em Geral: 15,00 Euros cada módulo |
Seguro escolar: 2,00 Euros |

INSCRIÇÕES ATÉ:
– 13 DE JUNHO – Módulo 1;

– 20 DE JUNHO – Módulo 2;
– 27 DE JUNHO – Módulo 3;
– 04 DE JULHO – Módulo 4;
– 11 DE JULHO – Módulo 5;
– 18 DE JULHO – Módulo 6.

Para candidatar-se, selecione a opção INSCRIÇÕES ONLINE 

NO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA, DEVE INDICAR EM QUAL DOS MÓDULOS SE INSCREVE.

Apresentação:
Estas oficinas de desenho têm por objetivo:
–  experimentar diferentes técnicas com o intuito de explorar o desenho como meio para captar os lugares com os quais nos relacionamos;
–  explorar diferentes técnicas ao longo das sessões: uma técnica por sessão, usando meios aquosos e meios secos.
– proporcionar a criação e uso do diário gráfico como um suporte de base para desenvolver o trabalho: este diário permitirá uma exploração cuidada do desenho e das suas técnicas.

Módulo 1 (22 de junho):
Tinta-da-china (3 h)
Uma técnica que usa a tinta-da-china como base, uma tinta que, com água, permite uma gama muito grande de diluição e com isto uma ampla gradação de tons cinza.
Materiais:  Tinta-da-china. pincel, aparo, cana biselada, papel aguarela, diário gráfico.

Módulo 2 (29 de junho):
Ecoline (3h)
Tinta muito transparente, da família das aguarelas, não é muito resistente à luz. Permite criar manchas com cores intensas.
Materiais: Ecoline, pincel, aparo, cana biselada, papel aguarela, diário gráfico.

Módulo 3 (06 de julho):
Aguarela (3h)
Técnica que usa pigmentos muito finos que se dissolvem com água. Permite trabalhar transparências e sobreposições cromáticas muito cuidadas e de uma envolvência muito particular.
Materiais: Aguarelas, pincel, papel aguarela, diário gráfico.

Módulo 4 (13 de julho):
Técnicas monocromáticas (grafite, carvão, tinta-da-china, uso de marcadores com ponta de pincel) (3h)
Utilização de meios de diferentes características para que, em articulação, possam trabalhar uma única base cromática. Exploração do claro escuro e das suas potencialidades de análise do espaço e da expressão.
Materiais: Ecoline, pincel, aparo, cana biselada, grafite, carvão, tinta-da-china, uso de marcadores com ponta de pincel, papel aguarela, diário gráfico.

Módulo 5 (20 de julho):
Técnicas policromáticas (pasteis secos, aguarelas, lápis de cor) (3h)
As possibilidades de estudar a cor e as suas aplicações a partir das diferentes técnicas e materiais. Uma forma de enriquecer o desenho e de lhe conferir uma outra amplitude plástica e visual.
Materiais: Ecoline, pincel, aparo, cana biselada, grafite, carvão, tinta-da-china, uso de marcadores com ponta de pincel, pasteis secos, aguarelas, lápis de cor, papel aguarela, diário gráfico.

Módulo 6 (27 de julho):
Técnicas húmidas e secas (tinta-da-china, aguarela, lápis de cor, ecoline, pastel seco) (3h)
Aumentar as relações com os meios técnicos e perceber que essa articulação devolve maior leque de possibilidades. Uma boa gestão de meios e técnicas pode dar uma resposta muito cuidada, permitindo uma abertura do entendimento do desenho e das suas potencialidades.
Materiais: Ecoline, pincel, aparo, cana biselada, grafite, carvão, tinta-da-china, uso de marcadores com ponta de pincel, pasteis secos, aguarelas, lápis de cor, papel aguarela, diário gráfico.

Os materiais estão a cargo de cada participante.

Imagem: images.pexels.com

Informações

Condições de pagamento:

Valor da propina e seguro escolar: pagos no ato da inscrição. SEM ESTE PAGAMENTO A INSCRIÇÃO NÃO É CONSIDERADA.
O seguro escolar só se paga uma vez.

A frequência de cada workshop pressupõe o pagamento do valor a ele associado antes da respetiva data de início.

Número mínimo de participantes: 10 (DEZ)
Número máximo de participantes:  15 (QUINZE)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE VALIDAÇÃO DAS INSCRIÇÕES

POR QUESTÕES DE LOGÍSTICA, NÃO É PERMITIDO AOS PARTICIPANTES PERMANECER NAS INSTALAÇÕES DA FACULDADE APÓS O FINAL DA SESSÃO. SOLICITA-SE, POR ISSO, QUE SEJAM TOMADAS AS DEVIDAS PROVIDÊNCIAS PARA QUE QUESTÕES DE LIMPEZA E MANUTENÇÃO DE MATERIAIS FIQUEM RESOLVIDAS ATEMPADAMENTE A FIM DE SE OBSERVAR ESTA CONDIÇÃO.

BIBLIOGRAFIA/ DOCUMENTAÇÃO DE APOIO:
ARNHEIM, Rudolf (1989). Arte & percepção visual ; uma psicologia da visão criadora. São Paulo : Liv.Pioneira Ed.
MASLEN, Mick (2011). Drawing Projects. An Exploration of the Language of Drawing
MOLINA, Juan José Gómez (2002). Estrategias del dibujo en el arte contemporâneo. Madrid : Cátedra
ITTEN, Johannes (1990). Arte de la couleur. Ravensburg : Dessain et Tolra
KANDINSKY, Wassily (1998). Gramática da criação. Lisboa : Ed.70
MAYER, Ralph (1996). Manual do artista de técnicas e materiais. São Paulo : Martins Fontes.
BERGER, John (1980). Modos de Ver. Barcelona: GG