O XADREZ COMO FERRAMENTA HEURÍSTICA PARA PENSAR A ARTE, A CULTURA E A SOCIEDADE | 2021

O XADREZ COMO FERRAMENTA HEURÍSTICA PARA PENSAR A ARTE, A CULTURA E A SOCIEDADE
(edição 2021)

*INSCRIÇÕES ENCERRADAS*

Carga horária: 10 sessões (20 horas)
(NOVO!) Calendário:
de 22 de janeiro a 26 de março de 2021 (sexta-feira)
(NOVO!)
Horário: Pós-laboral (19h00 > 21h00; GMT)
Regime:
ensino a distância (e-learning) SESSÕES SÍNCRONAS – ZOOM | MOODLE | GOOGLE CLASSROOM | TEAMS
Língua de comunicação:
Português (PT)
Prazo para inscrições: INSCRIÇÕES ENCERRADAS

FORMAÇÃO LIVRE (sem créditos)

Formador: Diniz Cayolla

DINIZ CAYOLLA
É Professor Auxiliar na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde leciona várias disciplinas: Antropologia da Arte, Psicologia da Arte, Teoria da Imagem, Metodologia de Investigação, entre outras. A sua formação de base foi feita em Ciências Sociais (Antropologia). Posteriormente, fez um mestrado em Multimédia e Audiovisual e um doutoramento em Ciências da Arte, com uma tese sobre Primitivismo na Arte. Ao nível da investigação, é membro integrado do I2ADS (Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade) e membro da direção do PysArt Foundation. Escreveu dois livros, colaborou recentemente na edição de uma publicação internacional, e tem vários textos publicados em livros ou revistas académicas nacionais e internacionais das áreas onde investiga.

https://up-pt.academia.edu/DinizCayollaRibeiro

Destinatários:
Esta unidade de formação livre destina-se a toda a comunidade académica e muito em particular aos estudantes e investigadores que têm interesse em explorar as potencialidades heurísticas do xadrez no campo das artes e humanidades.
NB: não são necessários conhecimentos prévios de Xadrez porque durante as sessões os formandos irão aprender a jogar, bem como adquirir algumas noções relevantes em termos táticos e estratégicos.


Se já tem um número de utilizador SiGARRA  e endereço de email institucional
, certifique-se de que as suas credenciais são válidas Caso necessite de novas credenciais, envie pedido para helpdesk@uporto.pt. Todos os contactos encetados por este Gabinete posteriores à submissão do formulário, no caso dos utilizadores SIGARRA com conta WEBMAIL, serão enviados EXCLUSIVAMENTE para a caixa de correio institucional.

CONDIÇÕES DE INSCRIÇÃO E DE FREQUÊNCIA:
– CAPACIDADE PARA FREQUENTAR O ENSINO SUPERIOR;
– COMPROVATIVO DE HABILITAÇÃO LITERÁRIA;
– COMPETÊNCIAS INTERMÉDIAS DE INFORMÁTICA AO NÍVEL DO UTILIZADOR;
– LIGAÇÃO EFICIENTE À INTERNET;
– DISPOSITIVO COM COLUNAS DE SOM, MICROFONE E CÂMARA FUNCIONAIS (obrigatório).*

Nota:
ESTUDANTES COM INSCRIÇÃO ATIVA EM 2020/ 2021 EM CURSOS DE 1.º, 2.º OU 3.º CICLOS NA U.PORTO ESTÃO ISENTOS DE APRESENTAÇÃO DE COMPROVATIVO DE HABILITAÇÃO LITERÁRIA.

*Durante as sessões, câmaras, colunas e microfones têm de obrigatoriamente estar a funcionar e ligados.
Download gratuito de fundo de videochamada para dispositivo disponível em:
https://www.nationalgallery.co.uk/page/mymasterpiece
https://www.nationaltrust.org.uk/features/virtual-backgrounds-for-zoom?fbclid=IwAR03P0fCnCnibtyC0IKRFtC7iCKCvYZPeH-CIIJE7f3AkPdoA5bu3WXfaLM

INTRODUÇÃO:
A presente unidade curricular visa alcançar três objetivos fundamentais. Em primeiro lugar, contribuir para uma formação mais holística, assegurando o desenvolvimento global dos participantes, especialmente nas suas competências transversais associadas à multidisciplinaridade. Em segundo lugar, valorizar a educação e a formação, num sentido integral e transformador, a partir do jogo de xadrez, que apresenta condições potenciadoras do sucesso académico. Por último, contribuir para que a oferta formativa da UP seja diversificada no seu conteúdo e forma, a partir de um conjunto alargado de temas, que vai das ciências cognitivas e a inteligência artificial às ciências sociais e humanas, e que abarca questões relevantes relacionadas com a ideologia, a identidade e o género.

OBJETIVOS:

  1. Compreender as inúmeras ligações criativas possíveis entre o xadrez, a arte e as humanidades.
  2. Identificar as investigações fundamentais no âmbito das ciências cognitivas que usaram o xadrez como ferramenta heurística.
  3. Conhecer os contributos fundamentais do xadrez no desenvolvimento da inteligência artificial.
  4. Discutir as várias hipóteses apresentadas para explicar as diferenças de género, em termos de desempenho, no xadrez.
  5. Reconhecer a faceta mais ideológica do jogo de xadrez.
  6. Entender de que forma a aceleração do tempo e as mudanças de mentalidades alteraram o jogo de xadrez.
  7. Apontar as várias influências xadrezísticas na obra artística de Duchamp.
  8. Utilizar ideias e conceitos escaquísticos como base para a elaboração de textos académicos.

PROGRAMA:
O jogo de xadrez aparece, com frequência, associado a questões relacionadas com visão estratégica, inteligência ou mesmo genialidade. É também comum encontramos obras literárias ou cinematográficas que usam o xadrez como meio para reflexões sobre temas sensíveis da humanidade, tais como a inteligência artificial, a guerra fria ou o sentido de vida, mostrando, deste modo, que o xadrez, para além de ser um jogo de tabuleiro, poderá também funcionar como uma poderosa metáfora para pensar a arte, a cultura e a sociedade. A presente unidade de formação livre explora esta faceta mais criativa e heurística do jogo de xadrez a partir de oito tópicos fundamentais:

  1. Introdução ao mundo do xadrez
  2. Xadrez e ciências cognitivas
  3.  Xadrez e inteligência artificial
  4. Xadrez e debates científicos (inato-adquirido, cérebro masculino-cérebro feminino)
  5. Xadrez e ideologia (género, raça, classe)
  6. Xadrez e tempo
  7. Xadrez e arte
  8. Xadrez e escrita académica.

Propinas:
Estudantes, Docentes e Funcionários UP/FBAUP:
40,00 Euros |
Alumni FBA | ESBAP: 45,00 Euros |
Público em Geral: 50,00 Euros |

INSCRIÇÕES ENCERRADAS
DATA LIMITE:  15 DE JANEIRO 2020 (ou anterior, caso as vagas estejam preenchidas)
Formulário de inscrição disponível aqui.

imagem:
(pormenor de) Damien Hirst, Escapology
fonte:
http://www.christies.com

Informações

Condições de pagamento:

50% do valor total da propina e seguro escolar: pagos no ato da inscrição. SEM ESTE PAGAMENTO A INSCRIÇÃO NÃO É CONSIDERADA.

Valor remanescente da propina: pago até data anterior ao início da unidade de formação.

A frequência desta unidade de formação pressupõe o pagamento integral dos valores associados à mesma antes da sua data de início.

Número mínimo de participantes: 12 (DOZE)
Número máximo de participantes:  20 (VINTE)

A SERIAÇÃO DOS CANDIDATOS É FEITA PELA ORDEM DE PAGAMENTO DO VALOR ASSOCIADO À INSCRIÇÃO.

Método de avaliação:
A avaliação será contínua, decorrente da participação e do envolvimento na resposta às solicitações e propostas  de discussão apresentadas. A atribuição do resultado consequente da avaliação contínua global será A (aprovado)/ R (reprovado).

Certificação:
Aos  participantes será emitido:
– um certificado de frequência.

A não aprovação dos formandos pode resultar de:

  1. Assiduidade inferior a 75% do número de horas de contacto;
  2. A não apresentação do trabalho individual/ portefólio;
  3. Um valor médio de desempenho inferior a 50%.

Para efeito de confirmação de falta será considerada uma tolerância de 15 minutos.

Os formandos que reprovarem por falta de assiduidade só serão considerados para unidades de formação futuras caso haja vagas sobrantes.

O pedido de emissão de certificado é feito por escrito para formcontinua@fba.up.pt, no final da unidade de formação, após tomada de conhecimento da avaliação,  e  a emissão está sujeita a pagamento de emolumentos no valor representado nesta tabela em vigor.

BIBLIOGRAFIA/ DOCUMENTAÇÃO DE APOIO:

Binet, Alfred. 1984. Psychologie des grands calculateurs et joueurs d’échecs. Paris: Hachette.

Cayolla Ribeiro, Diniz. 2014. “Duchamp, Chess, and the Oedipus Complex.” In Analyses of Cultural Productions:  Papers of the 30th Conference of Psyart – Porto, 2013, 255-263. Porto: I2ADS.

Cayolla Ribeiro, Diniz. 2015. “O Xadrez como metáfora para pensar a crise nas humanidades.”  Revista de História da Arte (12 – Crise):203-215.

Cayolla Ribeiro, Diniz. 2015. “O xadrez como ferramenta heurística.” In ID’maginarium –  Xadrez onírico, edited by Joana Torres. Lisboa.

Cayolla Ribeiro, Diniz. 2017. “Duchamp e o xadrez como ferramenta heurística para pensar o político.” In Estética e Política entre as Artes, edited by J.P Cachopo, E Marques, F Pinto and E.P. Almeida, 173-190. Lisboa: Edições 70.

Trevis, Walter, 1983. The queen’s gambit. Nova Iorque: Random House